Evolução do cultivo de milho transgénico em Portugal - IV

Março de 2016 - Se a história recente do cultivo de milho transgénico em Portugal for um bom indicador, 2016 não vai ser um ano feliz para as empresas da engenharia genética - pelo menos no nosso país. O gráfico abaixo (todos os gráficos foram construídos com base nos números oficiais publicados pelo Ministério da Agricultura) mostra a evolução da área cultivada ao longo dos anos desde que o milho transgénico MON 810 foi autorizado em Portugal (se clicar nas imagens pode vê-las em tamanho maior):

Quatro votações no Parlamento Europeu, quatro oportunidades de avaliar os eurodeputados portugueses

2016/02/13 - O Parlamento Europeu aprovou recentemente quatro resoluções excelentes (embora não vinculativas) e muito favoráveis ao combate aos OGM:

- a 16 de dezembro, contra a autorização de importação do milho transgénico NK603xT25 e a exigir à Comissão que suspenda o processo de autorizações até estar ativo o mecanismo (já previsto) que dá ao Parlamento o poder de veto dessas autorizações;

INSTITUTO EUROPEU DE PATENTES PREPARA-SE PARA APROVAR MAIS UMA PATENTE SOBRE A COMIDA

2015/12/07 _ Novo relatório justifica intervenção política urgente
O Instituto Europeu de Patentes (IEP) está a conceder cada vez mais patentes sobre plantas resultantes de cruzamento tradicional. Agora está a ser tomada uma decisão final sobre uma patente de tomate com conteúdo de água reduzido (EP1211926). Amanhã o IEP levará a cabo a audiência final sobre esta patente e prevê-se que ela seja aprovada sem limitações significativas. Esta patente, tal como outra sobre brócolos (EP1069819) ganhou atenção internacional e provocou uma intensa controvérsia ao longo de vários anos. Em março deste ano o IEP usou estes dois casos para criar jurisprudência e assim definir como patenteáveis tanto plantas como animais derivados de cruzamentos tradicionais. Desde então o protesto está a crescer: a Áustria, França, Alemanha e a Holanda estão entre os países que criticam publicamente esta decisão do IEP...

UM PIMENTO IGUAL AOS QUE TODOS CONHECEMOS... AGORA É PROPRIEDADE PRIVADA DA SYNGENTA

2015/10/22 _ Instituto Europeu de Patentes atribui patente a planta convencional
O Instituto Europeu de Patentes (IEP) em Munique concedeu à gigante suíça da área das sementes, Syngenta, uma patente que abrange o pimento e os seus usos "como um produto fresco, produto fresco cortado, ou para processamento, como por exemplo, a conservação em lata" (EP 2 166 833 B1). As plantas foram desenvolvidas para produzir pimentos sem sementes e são provenientes de cruzamentos normais, usando a biodiversidade existente. Esta variedade não foi produzida através de engenharia genética e como tal é totalmente natural - resultou de séculos de atividade agrícola por um sem número de produtores e não foi "inventada" por nenhuma empresa...

Gostaria de nos apoiar?

FALE CONNOSCO