Evolução do cultivo de milho transgénico em Portugal - II

Dezembro de 2011 - Foram finalmente divulgados os dados oficiais relativos a 2011 sobre o cultivo de milho transgénico em Portugal, e a partir daí pode analisar-se a evolução portuguesa ao longo dos últimos anos.

O gráfico abaixo (todos os gráficos foram construídos com base nos números oficiais publicados pelo Ministério da Agricultura) mostra a evolução da área cultivada ao longo dos anos desde que o milho transgénico MON 810 foi autorizado em Portugal (se clicar nas imagens pode vê-las em tamanho maior):

Relativamente a 2010 houve um aumento de cerca de 2900 hectares, o que corresponde a 2% do total da área cultivada com todo o tipo de milho em Portugal. Este aumento não foi homogéneo: enquanto que a área cultivada com transgénicos diminuiu ligeiramente no Norte e no Centro, ela aumentou bastante na região de Lisboa/Vale do Tejo e no Alentejo. Esta última região verificou a subida mais significativa: cerca de 2100 hectares de área adicional.

A região do Algarve continua sem transgénicos pelo segundo ano consecutivo mas os Açores entraram pela primeira vez no mapa dos cultivos, com uma área mínima: dois hectares e meio.

O próximo gráfico mostra a percentagem de crescimento em cada ano relativamente ao ano anterior:

Enquanto que em 2007 se tinha verificado um aumento muito visível na área cultivada, desde então as variações têm sido muito mais modestas e, no que toca a 2010, negativas (visto que tinha havido redução da área cultivada relativamente a 2009). Mesmo a subida de 59% em 2011 está muito longe dos 235% registados em 2007.

Finalmente neste outro gráfico pode ver-se a proporção da área cultivada com milho transgénico relativamente à área total dedicada ao milho em Portugal:

[Os valores da área total dedicada ao milho em Portugal (milho grão e milho para silagem) empregues neste cálculo são os disponibilizados pela Associação Nacional e Produtores de Milho e Sorgo em www.anpromis.pt/areas-de-milho-2004-a-2011]

Embora o milho transgénico tenha ganho terreno dentro do cultivo global de milho em Portugal, verifica-se que não conseguiu sequer atingir ainda o patamar dos 10%. Ou seja, continua a ser verdade que o milho transgénico em Portugal é uma opção residual, longe de encantar a maioria dos produtores.

Não é de descartar a hipótese de que a adesão aos transgénicos possa continuar a subir no futuro. A pressão do governo americano poderá facilmente ser a razão por detrás dessa tendência.

Gostaria de nos apoiar?

FALE CONNOSCO