Brasil: o início da inversão de marcha?


2010/11/09 - Depois de há uns meses atrás ter sido divulgado que os sojicultores brasileiros recebiam mais dinheiro por cultivar soja não transgénica mas que, por outro lado, as multinacionais lhes estavam a limitar drasticamente o acesso a esse tipo de sementes, alguma coisa começou a mudar.
O programa Soja Livre, agora lançado pelo governo federal, vai garantir a disponibilidade de semente não transgénica para evitar o futuro já descrito por um dos maiores produtores brasileiros de soja: "Em poucos anos estaremos simplesmente ou totalmente nas mãos das multinacionais que hoje trabalham com biotecnologia".
Com esta medida o estado brasileiro de Mato Grosso, que produz quase 30% de toda a soja brasileira, poderá atingir o objectivo de disponibilizar cerca de 70% da sua produção em versão não transgénica.
Claro que tudo isto depende igualmente da procura (sobretudo europeia) de produtos animais sem rações transgénicas. Vale pois a pena pedir no seu supermercado que comece a identificar quais marcas usam e não usam transgénicos na produção da sua carne, ovos, leite e lacticínios.

Gostaria de nos apoiar?

FALE CONNOSCO