Apareceu nova praga devido ao cultivo de milho transgénico

2010/12/31 - Nos Estados Unidos, o milho geneticamente modificado do tipo Bt-Cry1Ab (que produz uma determinada toxina insecticida, como o MON 810 que é cultivado em Portugal) está a ser infestado por uma nova praga, o "western bean cutworm" (Striacosta albicosta), um tipo de lagarta-de-rosca. Os problemas começaram a ser observados no ano 2000. Historicamente esta lagarta estava confinada a regiões muito limitadas do Oeste americano e não tinha impacto significativo no milho. Mas na última década este insecto alastrou para o Iowa, Minnesota, Illinois, Missouri, Indiana e Wisconsin e já está a causar impacto económico. Em 2009 foi detectado pela primeira vez no Canadá.

De acordo com a literatura científica, trata-se de um exemplo de "substituição de pragas", algo que também se verifica na agricultura intensiva com forte uso de pesticidas. Ou seja, ao eliminar um insecto (por causa da produção de Bt na planta transgénica), fica livre um "nicho" que depois é ocupado por um insecto de outra espécie, um concorrente. Porque o milho transgénico está a ser cultivado em vastíssimas áreas do território americano, esta lagarta-de-rosca está a espalhar-se na mesma proporção. A lição? Algo do género "tapou-se um buraco para abrir outro maior..."

Para saber mais leia este relatório: New Pest in Crop Caused by Large Scale Cultivation of Bt Corn.

Comments

No fundo, os americanos devem gostar desta nova praga. Para eles é mais uma oportunidade de negócio. Quantos mais problemas criam no mundo mais dinamizam (à maneira deles!) a economia procurando soluções. É só vantagens!

Olá!
Expliquem-me uma coisa, por favor: a lagarta de rosca não terá direito à vida, à proteção, como os restantes animais? Como devemos proteger esse animal? Ou será que só devemos proteger os animais que nós humanos achamos bonitos, tais como o panda?
Sou ecologista mas nao sei responder a estas perguntas.
Obrigado,

Caro amigo ecologista, sou Engenheiro Agrônomo e trabalho com com produção de grãos, geneticamente modificados ou não. Respondenderei a sua pergunta lançando uma nova proposta: Que tal preservarmos também todos os parasitas que infectam o homem causando diversas moléstias. Que tal preservarmos o bacilo-de-koch, fazermos uma campanha em prol do HIV ou estimularmos a criação em cativeiro do Virus da Gripe Aviária (H5N1). Tem tanta coisa perto de você aí na cidade que você pode estar procurando defender. Enquanto isso fico por aqui dando um jeito de continuar produzindo alimento para que os ecologistas, médico, engenheiros, políticos, advogados, pedreiros, lixeiros, garçons, emfim, habitante das grandes, médias e pequenas cidades, para que não passem fome!!! Fui.

Caro Luís Ricardo,
A questão é como evitar que as populações desta lagarta atinjam proporções descomunais e ponham em causa a produção agrícola. A lagarta não está em risco de extinção, nem nada que se pareça, por isso não tem necessidade de ser protegida. Quando se consegue manter o equilíbrio no ecossistema já nenhuma espécie cresce demais (nem de menos).
Cumprimentos,
Plataforma Transgénicos Fora

A população precisa comer......inclusive nosso amigo ecologista que quer proteger a lagarta rosca....só pode ser brinacadeira...