Riscos para o ambiente

Contaminação de crucíferas (couves) selvagens

2010/07/02 - Uma associação ambientalista japonesa detectou no país pela primeira vez a contaminação de crucíferas selvagens (a família das couves e nabos) por transgénicos. Através de análises moleculares a plantas selvagens a crescer na beira das estradas (e como tal mais susceptíveis de se cruzarem com plantas transgénicas que germinam depois de cair de algum camião) foi encontrada uma taxa de contaminação de 93%: 13 em 14 plantas testadas continham transgenes de tolerância a herbicidas. A contaminação poderá estar generalizada, mas não se conhecem levantamentos mais abrangentes.

Peixes transgénicos à venda ilegalmente


2010/06/30 - Em Espanha foram descobertas duas espécies de peixes transgénicos que estão ilegalmente à venda desde 2004. Talvez ainda mais grave, esta descoberta foi feita por uma associação de vendedores de animais, e não pelo governo - já que não há qualquer tipo de fiscalização oficial para este tipo de transgénicos. Na União Europeia não está nenhum animal transgénico autorizado, pelo que estes peixes de aquário nunca poderiam ter entrado a fronteira comum. Os peixes foram manipulados para se tornar fluorescentes.
E em Portugal, quem (não) fiscaliza?

Transgénicos: Será que precisamos deles?

O professor Marco Antônio Záchia Ayub, do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (Porto Alegre, Brasil) é doutor em Biologia Celular e Molecular e ensina na área da Biotecnologia e, para responder com mais facilidade a muitas questões dos seus alunos, publicou um documento que, numa linguagem acessível, desmonta numerosos mitos associados aos alimentos e culturas transgénicas. Para ler, basta clicar e descarregar: Alimentos Transgênicos - Será Que Precisamos Deles?.

Revelado aumento dramático no uso de pesticidas associado aos cultivos transgénicos


2009/11/17 - Um novo relatório publicado hoje enterrou o mito frequentemente ouvido de que as culturas transgénicas necessitam de menos pesticidas. Com números objectivos e oficiais do Departamento de Agricultura americano foi possível verificar essa subida significativa, resultante em grande medida do facto de que estão a aparecer cada vez mais infestantes resistentes aos herbicidas aplicados em transgénicos. Para o milho, soja e algodão transgénicos ocorreu um aumento acumulado de consumo de 144 mil toneladas de herbicida no total dos treze anos desde que se iniciou o seu cultivo nos Estados Unidos. Em média (dados de 2008), as culturas transgénicas obrigaram a um uso de mais 26% quilos de pesticida por hectare do que as culturas não-transgénicas.

Para ler o documento basta clicar: "Impacts of Genetically Engineered Crops on Pesticide Use - The First Thirteen Years"

Alemanha proibe cultivo de milho GM!

O governo alemão proibiu a venda para sementeira do milho MON 810 (o único que até agora tinha autorização de cultivo na Alemanha) enquanto não existir um plano de monitorização do seu impacto ambiental. O governo americano, subserviente como sempre dos interesses da Monsanto, já protestou. Não é claro de que forma tal medida irá afectar as culturas já semeadas este ano, nem se a Monsanto conseguirá satisfazer os requisitos a tempo do próximo ano. Em todo o caso parece óbvio que os riscos ambientais deste milho transgénico estão a vir ao de cima cada vez com mais clareza.

Os impactos no ambiente, dito por quem sabe

A IUCN, a maior organização de defesa da natureza no mundo, com mais de 100 governos membros, adoptou em Novembro de 2004 no seu congresso mundial uma resolução que pede a suspensão de quaisquer libertações de plantas GM no ambiente até que seja demonstrado, para lá de qualquer dúvida razoável, que são efectivamente seguros para o ambiente e a saúde. Portugal faz parte da IUCN. Veja abaixo o texto deste pedido de moratória.

Impacto do milho GM no ambiente

O governo austríaco publicou um relatório que sistematiza a informação científica disponível relativa ao impacto ambiental do milho transgénico - quer seja milho Bt, quer seja milho tolerante a herbicidas. Descarregue abaixo este documento, em inglês.

Para onde foram as abelhas?

Notícia em língua francesa: Aqui

DESAPARECIMENTO MASSIVO E MISTERIOSO DAS ABELHAS NOS ESTADOS UNIDOS

Por Jean - Louis SANTINI

WASHINGTON (APF) - A inquietação dos americanos cresce após o desaparecimento misterioso de milhões de abelhas nestes últimos meses. Esta hecatombe ameaça a produção nacional de mel e as colheitas que dependem do papel chave realizada por estes insectos.

As perdas das abelhas vão de 30 a 60% na Califórnia e ultrapassam 70% nas regiões da costa leste e no Texas. No total 24 Estados estão afectados assim como duas províncias canadianas, segundo as estimativas do departamento americano da Agricultura (USDA).

Começou a poluição... com animais


Segundo a revista Der Spiegel, foram encontrados à venda na Alemanha peixes geneticamente modificados. Estes peixes são transgénicos porque produzem uma proteína que fluoresce com diferentes cores na presença de luz ultra-violeta. Embora a sua venda seja legal nos Estados Unidos, não estão autorizados para circulação na União Europeia e quem o fizer pode pagar multa até 50 mil euros ou ir cinco anos para a cadeia. Embora os peixes sejam tropicais, nada garante que a sua libertação acidental em águas europeias não acarrete impactos ambientais negativos.

Páginas

Subscribe to Riscos para o ambiente

Gostaria de nos apoiar?

FALE CONNOSCO