Política

Syngenta Mata


2010/03/30 - A Organização de Direitos Humanos Terra de Direitos, do Brasil, publicou um estudo de caso sobre as diversas violações de direitos humanos protagonizadas pela Syngenta, empresa transnacional do agronegócio que produz sementes transgénicas e pesticidas. As acções violadoras incluem assassinato, violência física e moral contra trabalhadores rurais sem terra, manutenção de milícias privadas armadas, realização de despejos forçados sem determinação judicial, adulteração de venenos, contaminação do solo com agrotóxicos, contaminação da agrobiodiversidade com sementes transgénicas e criminalização dos movimentos sociais, entre muitas outras.

Pode descarregar o relatório integral: Syngenta Mata - Transgênicos, Agrotóxicos e Violência.

Parlamento: Apresentado Projecto de Resolução


2010/03/19 - O Partido Ecologista Os Verdes apresentou hoje um projecto de Resolução sobre transgénicos que "Exorta o governo a tomar um conjunto de medidas para aplicação do princípio de precaução em relação a transgénicos". O PEV reconhece que "as incertezas são cada vez maiores em relação aos efeitos dos transgénicos" e, verificando que existem proibições em vários países europeus, propõe que o governo tome medidas de protecção da saúde e do ambiente.
Vamos prestar atenção ao que dizem os restantes partidos.

Está disponível para descarregar o texto integral do Projecto de Resolução.

Parlamento Europeu: Pergunta sobre a batata Amflora


2010/03/18 - Na sequência da recente aprovação da batata transgénica Amflora, da BASF, uma eurodeputada portuguesa (Marisa Matias, do Bloco de Esquerda), colocou uma pergunta escrita à Comissão Europeia (responsável pela autorização). A questão contesta essencialmente a suposta segurança e relevância deste transgénico. Está disponível para descarregar o texto integral da pergunta.

Vitória para os suíços!

2010/03/09 - O parlamento suíço decidiu prolongar por mais três anos a moratória de cinco anos agora em vigor relativa ao cultivo de transgénicos no país. A moratória inicial tinha sido aprovada em 2005 através de referendo nacional, o que significa que a Suíça estará livre de transgénicos pelo menos até 2013.

Pode consultar o comunicado da Greenpeace.

Presidente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento fala sobre os transgénicos

2010/02/19 - A directora do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e ex-primeira ministra da Nova Zelândia, Helen Clark, pronunciou-se sobre a introdução de transgénicos na agricultura em termos do seu potencial para resolver o desafio futuro de alimentar a humanidade. E o que disse foi muito claro: "Não acredito que os transgénicos sejam a solução para o problema da segurança alimentar." Helen Clark também falou das reais alternativas, que passam precisamente pelo oposto do que os transgénicos de facto representam.

Pode consultar a notícia original.

A Noruega diz NÃO às sementes geneticamente modificadas

2010/02/16 - "O principal instrumento para a segurança alimentar global é a produção alimentar nacional. Cada país tem a obrigação de fornecer alimento à sua própria população. Os desafios fundamentais relacionados com a fome não podem ser resolvidos apenas pelo comércio" assim acredita o Ministro da Agricultura e Alimentação da Noruega, Lars Pedder Brekk.

Sendo a agricultura a segunda maior indústria nacional da Noruega, fornecendo metade das necessidades do povo norueguês, não admira que ele veja, tal como a Índia, a necessidade de apoiar os agricultores do seu país face aos desafios da Organização Mundial de Comércio (OMC).

"Nós afirmamos que a agricultura está ligada ao local onde as pessoas vivem, onde têm as suas casas; queremos produção em todas as regiões do país" disse ele num encontro com jornalistas do jornal The Hindu.

Monsanto falsificou estudos, afirma um ex-director

2010/02/09 - Foi hoje tornada pública uma entrevista com Tiruvadi Jagadisan, um director executivo da Monsanto na Índia durante oito anos e que trabalhou quase duas décadas na empresa. Segundo Jagadisan, a Monsanto USA "costumava falsificar os estudos científicos" que eram apresentados ao governo indiano para obter aprovações dos seus produtos [à época tratava-se essencialmente de pesticidas], estudos esses que o governo aceitava directamente porque não levava a cabo nenhum estudo independente que permitisse verificar a validade dos dados da Monsanto. Este gestor acabou por se demitir da empresa por considerar que a Monsanto "estava a explorar o nosso país".
Curiosamente, na União Europeia também nunca é feita nenhuma avaliação independente dos estudos apresentados pela Monsanto. Será que...

Pode ser descarregada aqui a notícia original.

França: Aprovada primeira zona livre de transgénicos em área protegida

2009/09/14 - A câmara de agricultura da Ardèche francesa aprovou por unanimidade uma deliberação que torna a área protegida da região (Parc Naturel Régional des Monts d’Ardèche) uma zona livre de cultivos transgénicos. Esta decisão é tomada ao abrigo da nova lei francesa sobre organismos geneticamente modificados e deverá agora ser incorporada na Carta Constituinte do parque. O território do parque abrange 132 comunas e 180 mil hectares, e nele habitam 56 mil habitantes.

Veja aqui o texto original.

Páginas

Subscribe to Política

Gostaria de nos apoiar?

FALE CONNOSCO