Mapa das zonas declaradas em Portugal

Zonas Livres em Portugal, incluindo freguesias, municípios, províncias e regiões autónomas

Mapa dinâmico (para ver as ilhas tem de arrastar o mapa):

Ver mapa maior

 

Mapa estático do continente:

Todo o Arquipélago da Madeira se declarou zona livre de transgénicos em Janeiro de 2008:

Os Açores aprovaram a sua zona livre de cultivos transgénicos em Maio de 2012:

Comentários

Como garantem que nestes locais não há OGM?

Tenho curiosidade já que aqui no meu concelho (um dos livres) existem inúmeras plantações de milho extensiva para ração de vaca e várias até são em cima de terrenos REN e ZPE e duvido que ande lá alguém a sacar espigas para verificar se são transgénicas ou não.

Até mais.

Caro Mário da Silva,
Obrigada por colocar esta pergunta. As declarações de zona livre que têm sido feitas não têm força legal e não podem impedir ninguém de cultivar milho transgénico que tenha sido autorizado para Portugal. Por isso a intenção das Câmaras não é a proibição, pelo menos no imediato, mas sim o posicionamento político: quanto mais concelhos mostrarem que os transgénicos não fazem parte dos seus planos, menos legitimidade democrática terá o governo central (em Lisboa e em Bruxelas) para continuar a aprová-los. Para além disso, ao assumir publicamente tal rejeição, a Câmara está a lançar a trazer a questão dos transgénicos para a ribalta do debate local e a mostrar aos consumidores, agricultores, restaurantes, etc, que têm de discutir, informar-se e posicionar-se. Comida toca a todos - todos têm o direito e o dever de se envolver.
Ao dispor,
Plataforma Transgénicos Fora

Como se enquadra esta resposta com a nova zona livre legal que foi criada recentemente em Lagos?

A partir da entrada em vigor da Portaria 904/2006, de 4 de Setembro, já é possível criar legalmente uma zona livre de transgénicos (seja por iniciativa da Câmara, seja dos agricultores). No entanto, note-se, essa criação não impede ninguém de cultivar transgénicos... por incrível que pareça, é mesmo assim que a Portaria está escrita.

"é possível criar legalmente uma zona livre de transgénicos (seja por iniciativa da Câmara, seja dos agricultores). No entanto, note-se, essa criação não impede ninguém de cultivar transgénicos..."

Sendo como descreve trata-se de uma aldrabice porque leva a acreditar em algo sem consistencia para mais sabendo-se que a natureza é prodiga a difundir polén ( ou neste caso: contaminação)

Quem produz tal portaria ou mal completou a 4ª classe ou lança suspeitas de falta de autonomia e integridade para beneficio de...
obviamente das tais multinacionais

O cultivo de transgénicos é particularmente pernicioso devido ao risco de contaminação das culturas por polinização cruzada. O pólen pode ser transportado por insetos e pelos ventos por uma distância que pode ir de uns metros a dezenas de quilómetros, pelo que não há barreiras de segurança suficientemente largas para garantir que as novas espécies introduzidas no meio ambiente não proliferem, competindo com as variedades tradicionais e contaminando os cultivos não transgénicos. Este é um problema particularmente agudo para a agricultura biológica, já que a contaminação de uma cultura implica a perda da certificação do produto como biológico, destruindo anos de trabalho e levando à ruína quem não contamina os solos e os rios com químicos perigosos.

http://www.esquerda.net/dossier/os-novos-frankensteins/31822

http://www.blogdopereira.com.br/2014/02/o-avanco-do-cultivo-transgenico.html

olá!!

1) pedia para vocês estarem atent@s ao que se vai passando nos Açores, pois pode acontecer que venha a ser declarada zona livre de OGM's, leia-se a propósito esta notícia: http://www.correiodosacores.net/view.php?id=6188

2) chamava a vossa atenção para corrigirem os vários erros que vocês têm nas ilhas açorianas [aqui acima no vosso mapa]... a imagem mais à esquerda, das ilhas mais pequeninas [Flores e Corvo], é o Grupo Ocidental [não Oriental como têm na vossa imagem]. a imagem ao centro [São Miguel e Santa Maria] são as ilhas do Grupo Oriental [não Central como têm]. a imagem das 5 restantes ilhas é o Grupo Central [não Ocidental].

cumprimentos!!!

Caro Nélson,
Muito obrigado pela correcção das calinadas geográficas e pela notícia sobre os Açores. Estaremos atentos à evolução da situação!

Sou um apoiante total da luta contra os transgénicos. A chusma que nos governa (ou pastoreia, da maneira que eles pensam) devia aprender com os chamados países emergentes: sabiam que na Rússia os alimentos com OGM devem ser rotulados e que de facto o são? Eu próprio o vi muitas e muitas vezes. E também se promove o que não contém com um símbolo próprio e com informação nas televisões e debates e documentários. Enfim , democracia e liberdade de escolha! Aqui não se consegue comer um chocolate, cereais, ou os alimentos mais insuspeitos sem lá ver a praga negra: lecitina de soja por todo o lado. Sabiam que é inibidor da produção da testosterona?

Mas vamos lá a mudar isto!

O que deve uma Câmara Municipal fazer para declarar o território do seu concelho como Zona Livre de Transgénicos? Que acções podem ser realizadas para motivar os agricultures e silvicultores a mudarem as culturas? Como evitar que seja mais uma papagaiada política de boas intenções?

Obrigado pelas respostas/comentários.

Caro Luís,
Obrigado pelo apoio. Em termos legais as câmaras podem criar "zonas livres" de transgénicos, mas não podem impedir ninguém de cultivar transgénicos no seu território. Isto parece uma incongruência, e é mesmo. Por isso uma câmara interessada neste assunto deve investir é na discussão e lançar o debate junto de agricultores, ambientalistas, associações culturais e outras forças vivas do concelho para que os melhores interesses da comunidade venham ao de cima. Se as pessoas forem maioritariamente contra os OGM, os agricultores pensarão duas vezes antes de os cultivar.
Melhores cumprimentos,
Plataforma Transgénicos Fora

Boa tarde,

sou consumidora de uma farinha de milho de origem Venezuelana. Para meu grande espanto, apercebi-me na semana passada que na confeção desta farinha é usado milho transgénico. Visto que vivo numa das Regiões Autónomas livres de transgénicos a comercialização deste produto não deveria ser igualmente proibida?
Fico a aguardar a sua resposta que desde já agradeço.
Cumprimentos,

Joana Barrêto

Cara Joana,

Coloca uma boa pergunta. Infelizmente a legislação só permite ao governos regionais e às câmaras municipais que tomem posição sobre o cultivo de transgénicos. A importação e comercialização de alimentos GM, uma vez autorizada em Bruxelas, é válida para toda a União Europeia e não pode ser suspensa. A solução, claro está, é procurar alimentos sem ingredientes transgénicos.

Cumprimentos,
Plataforma Transgénicos Fora

Bruxelas passa para os Estados decisão de proibir transgénicos
16, janeiro, 2015
A decisão significa também que cada país pode também, individualmente e não mais no âmbito da União Europeia, tomar a decisão de liberar os transgênicos. A situação vai variar de país a país e da capacidade da população de pressionar diretamente seus governantes. As eventuais liberações certamente trarão o desafio da contaminação mesmo para os países que seguirem com suas moratórias nacionais.

Podemos agora organizarmo-nos no sentido de pressionar alterações legislativas?

Caro Rolando,
Obrigado pela visita e interesse. Sim, com a decisão que refere esta é a altura para pressionar o governo a explicar porque é que não proibe o cultivo de OGM em Portugal. Agora já é possível tomar medidas para proteger a agricultura e os consumidores no que toca à produção nacional.
Cumprimentos,
Plataforma Transgénicos Fora

Gostaria de nos apoiar?

FALE CONNOSCO